quinta-feira, 16 de setembro de 2010

Desporto na Quinta

Segue a pequena peça de teatro que escrevi. Todas as crianças que foram à zona ribeirinha de Benavente no dia Mundial da Criança viram a peça ser representada num fantocheiro, com bonecos feitos na biblioteca.


DESPORTO NA QUINTA

NARRADOR: Na Quinta do Lá Vai Um nada se passava. Os dias eram lentos e as noites compridas. E os animais da Quinta andavam muito aborrecidos por não terem nada que fazer.
PATO GOLIAS: Mano Gaspar, que achas de tomarmos uma banhoca?
PATO GASPAR: Boa ideia! Acho que é mesmo a única solução…para desenferrujar as patas…
NARRADOR: Era assim de meia em meia hora. Mergulhavam no tanque, davam quatro braçadas, ou por outra quatro patadas e, de cabeça erguida voltavam a sair da água para se aquecerem ao sol. Na capoeira era um alvoroço.
TODAS AS GALINHAS: Cócórócócó! Cócócórócócó! Cáquiricácá! Cáquiricácá!
NARRADOR: Que barulheira! O galo Semedo e a galinha Corada que tinham sido pais há poucos dias, gritavam:
GALO SEMEDO: Pouco barulho!
GALINHA CORADA: Os nossos filhotes querem dormir!
OUTRA GALINHA: Que queres que façamos? Não temos nada para fazer. Só nos resta cacarejar!
GALO SEMEDO: Pois, cacarejam, cacarejam, e não se lembram que as nossas criancinhas precisam de silêncio para descansarem…
PINTAINHOS: Mamã! Papá! Vamos lá para fora, para a relva fresquinha…
GALINHA CORADA: O papá e a mamã estão cansados…
PINTAINHOS: Só um pouquinho mamã…só um pouquinho papá….
GALO SEMEDO: Está bem… só um pouquinho…
NARRADOR: Saíam enfim da capoeira. Os filhotes saltitavam atrás dos pais, de asinhas pequeninas em voo descontrolado, tentando acompanhá-los. E ficavam parados debaixo do alpendre à espera que o barulho lá dentro acalmasse.
Farrusco e Leão eram os dois cães de guarda, mas de guardadores nada tinham. Só se mexiam quando chegava a hora do almoço. Porque a fome apertava, lá se levantavam com esforço, dirigindo-se para o prato que o dono punha à esquina da capoeira. Depois voltavam à mesma posição. Dormiam o resto do dia com o focinho entalado entre as patas dianteiras (pode fazer-se o ressonar). Até o gato da vizinha andava por ali à vontade!
GATO TARECO: Olá Leão! Olá Farrusco!
NARRADOR: Mas Leão e Farrusco nem se mexiam.
GATO TARECO: Que bons guardas…!
NARRADOR: E seguia sem pressa frente aos narizes dos dois cachorros.
O porco Focinho e a porca Porcina roncavam o dia todo. Mal se mexiam e, com receio de caírem, encostavam-se à cerca, juntinhos um ao outro . O dono enchia o maceiro, eles comiam. Tornava a encher o maceiro, eles tornavam a comer.
PORCA PORCINA: Ai mano, levamos uma vida tão cansativa…
PORCO FOCINHO: Sim mana. Ai, como custa não fazer nada…
TODOS: ZZzzzzZzzzz…. ZZZzzzzz…
NARRADOR: As moscas e as abelhas voavam sobre as suas cabeças. Para as afugentar abanavam com força as grandes orelhas bicudas.
A vaca Mimosa ficava o dia inteiro no curral. O dono fazia a ordenha de manhãzinha cedo, quando o sol começava a acordar por detrás dos sobreiros. Mugia de contentamento durante a ordenha. Depois ali ficava com a cabeça fora da abertura do estábulo a ver os outros animais, quietinhos nos seus lugares.
VACA MIMOSA: Olá Porcina! Olá Focinho! Que tal a vida?
PORCO FOCINHO: Cá vamos indo….
PORCA PORCINA: Não queres vir cá fora um bocadinho?
VACA MIMOSA: Não. Com a ordenha fiquei muito cansada. Talvez amanhã…
NARRADOR: O cavalo Trovão passava os dias no prado a roer a erva fresquinha à sombra de uma das árvores. Ali ficava até ao pôr-do-sol, quando o dono o vinha recolher. Cavalo molengão – resmungava o dono - um prado tão bom para correr e não arreda do mesmo sítio.
Até que um dia, algo de novo aconteceu. Tinha rompido a manhã. Os animais lá estavam nos seus postos, pachorrentos, como de costume. Ouviu-se então um grande alarido que vinha do lado do prado.
VOZ: Atenção. Todos aos seus lugares! Vamos começar os jogos.
NARRADOR: Que será aquilo? A pouco e pouco todos se aproximaram do pequeno prado. Estavam lá muitas crianças e alguns adultos. Havia grande alegria. Uns jogavam à bola, outros saltavam à corda. Um grupo estava a dar início a uma corrida. Eram seis ou sete crianças em fila, com as mãos nos joelhos à espera do sinal de partida.
- Um, dois, três, partida! – Gritou um adulto com um grande boné na cabeça e um apito pendurado ao pescoço. Apitou estridentemente para dar início à corrida.
E a corrida começou.
Também havia crianças a andarem de bicicleta. Com bandeirinhas penduradas nos volantes, pedalavam felizes pelo prado.
Foi assim o dia todo. Os rostos das crianças estavam corados e sorridentes. Mesmo ao final do dia não mostraram sinais de cansaço.
Os animais da quinta estavam admirados. As crianças fartaram-se de correr, saltar e brincar e estavam tão contentes e com um ar tão saudável!
CAVALO TROVÃO: Estão assim, porque fizeram desporto. Tenho um tio que salta obstáculos….É por isso que ele tem o pelo tão liso e brilhante. Porque faz desporto.
GALINHA CORADA E GALO SEMEDO: Desporto!?
VACA MIMOSA: Com aquele desporto as crianças deviam ter ficado doentes…
NARRADOR: Aquilo dava que pensar.

(Ficam um momento pensativos)

PORCO FOCINHO: Temos de fazer desporto!
VACA MIMOSA: Anh!?
GALINHA CORADA: Acho boa ideia. Vamos todos fazer desporto.
CÃO FARRUSCO: Se fizermos desporto eu e o Leão seremos bons guardadores.
NARRADOR: Se bem o pensaram melhor o fizeram. A partir daquela altura os dias nunca mais foram aborrecidos. Os animais da quinta não param desde o nascer ao pôr-do-sol. Farruscos e Leão correm atrás de uma bola, dando grandes saltos para a agarrarem com os dentes. E quando vêem o Tareco correm atrás dele, só descansando quando o bichano trepa a oliveira centenária. A galinha Corada e o Galo Semedo dão grandes caminhadas ao redor do prado. Os pintainhos seguem-nos alegremente, com as asinhas a dar a dar. Trovão cavalga ligeiro e salta várias vezes um tronco de árvore caído no chão. Gaspar e Golias dão agora dez voltas ao tanque, mergulham e nadam debaixo de água; Mimosa corre com Porcina e Focinho. Como é muito pesada fica quase sempre para trás.

CAVALO TROVÃO: Desporto é ter o corpo bonito!
VACA MIMOSA: Desporto é ter alegria!
CÃES FARRUSCO e LEÃO: Desporto é conviver!
PATOS GOLIAS e GASPAR: Desporto é sonhar!
PORCOS PORCINA e FOCINHO: Desporto é ser elegante!
GALO SEMEDO e GALINHA CORADA: Desporto é ter saúde!
PINTAINHOS: Desporto é crescer!

                                                                             Eugénia Edviges

Um grande XI-    

Sem comentários:

Enviar um comentário