terça-feira, 21 de setembro de 2010

O Cozinheiro Comilão

Às vezes é difícil fazer um bolo, principalmente quando não se é grande cozinheiro (como eu) ou quando há um cão e um gato por perto. Vejam o que aconteceu ao cozinheiro Comilão, quando pensou em fazer um bolo de natas:

O cozinheiro Comilão
Com um bigode farfalhudo
pensou em fazer um bolo
Com acúcar, ovos e tudo.

E retirou do armário
uma enorme tijela
E tudo o que era necessário
para o bolo confecionar:

um jarro cheio de leite,
500 gramas de açucar,
e metade de farinha,
três folhas de gelatina,
bananas para decorar
o bolo à sua maneira.
dez ovos da capoeira,
natas frescas para barrar.
Estava tudo reunido
para o bolo começar.
faltava pôr o chapéu
e à frente o avental.
Para sentir o ar fresco
abriu a porta do quintal.

Mas o cão que é matreiro
e andava ali por perto
viu o gatinho Tareco
e vá de o perseguir.
- Que fazer? - pensa o Tareco
- Vou fugir para a cozinha!
Deu um salto para a mesa
pôs as patas na farinha.
Vem o Farrusco a ladrar
e ao Tareco assustar.

Ladra o Farrusco ao gatinho
que vai aterrar certinho
nos braços do cozinheiro.
Este não sustém as pernas
escorrega no tapete
e com um grande brilharete
foi com a cara bater
nos dez ovos redondinhos.

O gato voltou para a mesa
resvalando sobre as natas
E o cão sempre a ladrar
Tentando chegar-lhe as patas.

Com tamanha confusão
Está claro que o açúcar
bem como o jarro do leite
se espalharam pelo chão.

Era um quadro assustador:
Cascas e gemas de ovos
na cara do cozinheiro,
o Tareco cheio de natas
nos bigodes e nas patas.
O açúcar era tanto
misturado com o leite
Que o Farrusco que era preto
passou a ter pelo branco.

O cão cansou-se por fim
e afastou-se vaidoso
com o rabo a dar a dar
O gato pulou então
Da mesa para o chão
Indo no leite aterrar.


Já não há bolo fofinho!
O cozinheiro Comilão
Sentou-se triste no chão
A comer uma banana.
Estava tudo perdido!
E assim deixou de ser
cozinheiro Comilão
Passou a ser
cozinheiro Trapalhão!

                                                         Eugénia Edviges

Um grande XI-    

Sem comentários:

Enviar um comentário